AGENDE UMA VISITA

Você esqueceu como se logar?
Para o acesso do Educando, utilize o Número de Matrícula como Usuário e a Senha cadastrada, ou a data de nascimento (ddmmaaaa). Para o acesso de Pai/Mãe/Responsável, utilize o CPF (sem pontos ou traços) como Usuário e a Senha cadastrada, ou a data de nascimento (ddmmaaaa). Resgatar Senha

Você esqueceu como se logar?
Para o acesso do Educando, utilize o Número de Matrícula como Usuário e a Senha cadastrada, ou a data de nascimento (ddmmaaaa). Para o acesso de Pai/Mãe/Responsável, utilize o CPF (sem pontos ou traços) como Usuário e a Senha cadastrada, ou a data de nascimento (ddmmaaaa). Resgatar Senha

Notícias

Continue vendo em
seu dispositivo móvel:

Quando Comer Vira Problema

Quando Comer Vira Problema Nossa Senhora Menina

No Brasil, 53 milhões de pessoas vivem com menos de 1 dólar por dia e passam fome. Outras pessoas não comem por transtornos alimentares. A anorexia e a bulimia nervosa, consideradas patologias psiquiátricas, são determinadas pela má percepção da própria imagem corporal e pelo pavor de ganhar peso.

Predisposição genética, alterações biológicas, influência familiar e pressões ambientais são alguns dos fatores que podem levar aos problemas. Esses transtornos apresentam prevalência entre 0,5% e 1% da população jovem feminina. Apenas 10% dos portadores são do sexo masculino.

Outros problemas relacionados à comida são a obesidade e a desnutrição, que pode ou não estar ligada à fome crônica. Para 2007, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome tem verba de R$ 8 milhões para projetos de erradicação da pobreza e da desnutrição. A fome é ainda prioridade na declaração do Milênio, produzida por 189 países, em 2000. São compromissos firmados entre as nações pelo desenvolvimento do planeta. Uma das metas é, até 2015, cortar pela metade a fome e a pobreza extrema.


AS VÁRIAS FACES DA QUESTÃO

Desigualdade social e econômica mistura-se a distúrbios quando traçamos um panorama dos problemas relacionados à alimentação

FOME: Necessidade física de alimentos devido à baixa ingestão prolongada de calorias. É associada ao subdesenvolvimento, medido pelo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). O Brasil está em 65º lugar no ranking de 175 países. Segundo a ONU, a cada cinco minutos uma criança morre de fome no mundo.

DESNUTRIÇÃO: Resultante do desequilíbrio na qualidade ou na quantidade de nutrientes ingeridos. No Brasil onde 9% da população é subnutrida, as crianças são as que mais aumentam esse número. O país está em 37º lugar no ranking de subnutrição infantil. A fome causa desnutrição, mas há pessoas com peso normal ou acima que são desnutridas.

ANOREXIA: É a recusa involuntária de se alimentar pro medo de engordar. O problema é grave e ganhou o centro das discussões em 2006, quando a modelo Ana Carolina Reston, 23 anos, morreu. Os pacientes distorcem a imagem corporal real a ponto de, ainda que muito magros, se olharem no espelho e se enxergarem gordos. O anoréxico tem peso corporal inferior ao considerado normal do ponto de vista médico-nutricional.

BULIMIA: Doença quase exclusiva de mulheres. É caracterizada por episódios de comer compulsivamente seguidos de vômito induzido, jejuns longos, ingestão de laxantes e diuréticos e o abuso de exercícios físicos. A curto e longo prazo, traz inúmeros problemas, entre eles: gastrite, esofagite, sangramentos, dores no abdômen e irregularidades na menstruação.

OBESIDADE: excesso de peso provocado pelo desequilíbrio entre números de calorias ingeridas e queimadas. O obeso apresenta peso 30% maior que o indicado. Segundo a OMS, em 2005, havia 1,6 bilhões de adultos acima do peso. Cerca de 400 milhões são obesos. Mais de 10 milhões de brasileiros estão obesos. A obesidade traz diversos problemas à saúde, entre eles doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.


10 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER

1. Anorexia e bulimia são determinadas pela má percepção da própria imagem corporal e pelo pavor de ganhar peso.
2. Predisposição genética, alterações biológicas, influência familiar e pressões ambientais são alguns fatores que podem levar à distúrbios alimentares.
3. Apenas 10% dos portadores de transtorno alimentar são do sexo masculino.
4. Outros problemas relacionados à comida são a obesidade e desnutrição, que pode ou não estar ligada à fome crônica.
5. Fome é a necessidade física de alimento, resultante da baixa ingestão de calorias.
6. Segundo a ONU, a cada 5 minutos uma criança morre de fome no mundo.
7. A desnutrição é resultante do desequilibro na qualidade ou na quantidade de nutrientes ingeridos. Há pessoas desnutridas com peso normal ou acima dele.
8. A anorexia nervosa é a recusa voluntária de se alimentar, por medo de engordar. O anoréxico apresenta peso corporal inferior ao considerado normal do ponto de vista médico-nutricional.
9. A bulimia nervosa é caracterizada por episódios de comer compulsivamente seguidos de vômito induzido, jejuns longos, ingestão de grande quantidade de laxantes e diuréticos e o abuso de exercícios físicos.
10. Obesidade é o excesso de peso provocado pelo desequilíbrio entre a quantidade de calorias ingeridas e queimadas. Segundo a organização mundial da saúde, em 2005, havia 1,6 bilhões de adultos acima do peso. A obesidade traz diversos problemas à saúde, entre eles doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.


Entrevista com Ana Beatriz Barbosa da Silva

Especialista explica como funcionam os transtornos alimentares e qual a melhor maneira de tratá-los

A psiquiatra Ana Beatriz Barbosa da Silva se debruça sobre a relação do ser humano com a comida. No livro “Mentes Insaciáveis” mostra como funcionam doenças como a anorexia e a bulimia, ao mesmo tempo em que explica o funcionamento de cada tipo de transtorno e recomenda os melhores tratamentos.

Galileu Vestibular – O que há em comum entre os pacientes com os diversos tipos de transtorno alimentar?
Ana Beatriz Barbosa da Silva
É um grupo heterogêneo, mas pode-se dizer que há em comum a preocupação excessiva com a imagem corporal. Isso é o centro da visa das pessoas.


GV – A obesidade não está incluída pela Organização Mundial da Saúde na lista dos transtornos mentais, mas sim físicos. Por que você quis incluí-la no livro?
AB
As conexões com os transtornos mentais são claras. Não há como separar. A obesidade deveria ser incluída tanto nas alterações mentais quanto físicas, é uma patologia mista.

GV – O tratamento dos transtornos alimentares deve ser sempre à base de remédios?
AB – No caso da anorexia, sempre. No caso da bulimia, se for leve, pode-se tentar um tratamento com psicoterapia cognitiva comportamental.



Para saber mais...

Para ler:
“Transtornos alimentares – Uma visão nutricional”, Sônia Tucunduva Philippi e Marlena Alvarenga Manole
“Anrexia, Bulimia e Obesidade”, Salvador de Rosis Busse

Para Navegar:
www.ambulim.org.br
www.abeso.com.br



Fonte: _____________. Quando comer vira um problema. Galileu Especial Vestibular, São Paulo, 26 - 27, abril, 2007.

Outras Notícias

Ver lista completa
 
Sistema Brasília
Mãe da Sta. Esperança
Colégio Passionista Nossa Senhora Menina
Rua Bom Jesus, 881- A - Cabral - Curitiba - PR
CEP 80035-010
Leia Nossa Política de Privacidade
Delta Tech - Gerenciamento de Conteúdo